Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do ES

Últimas Notícias

O SINDEPES e a ADEPOL-ES parabenizam os Delegados da DIVISÃO ESPECIALIZADA DE FURTOS E ROUBOS DE VEÍCULOS-DFRV/DEIC

O SINDEPES e a ADEPOL-ES parabenizam os Delegados da DIVISÃO ESPECIALIZADA DE FURTOS E ROUBOS DE VEÍCULOS-DFRV/DEIC, subordinada à Superintendência de Polícia Especializada, os quais, com o apoio do GAECO/MPES e das Polícias Civis de SP, AL e CE, além da Capitania dos Portos, deflagraram na manhã da última terça-feira, 15/12/2020, a OPERAÇÃO PIÀNJÚ, objetivando a desarticulação de uma estruturada Organização Criminosa com atuação interestadual e internacional, que praticou diversos crimes e cuja movimentação de valores de origem ilícita superou o valor global de R$800.000.000,00 (oitocentos milhões de reais) nos últimos anos. Durante 02 (dois) anos de investigação, a DFRV comprovou que a célula capixaba da organização investigada agia como “prestadora de serviços” de lavagem de capitais para outras organizações, possuindo, inclusive, ligação com empresas e pessoas investigadas e denunciadas no âmbito de diversas fases da OPERAÇÃO LAVA JATO da PF/MPF/JF.

Foram expedidos 126 mandados judiciais, sendo, 18 mandados de Prisão Preventiva, 05 mandados de Prisão Temporária, 30 mandados de busca e apreensão, 23 sequestros de embarcações, 43 ordens judiciais de bloqueio de contas bancárias e 2 ordens judiciais de suspensão de atividades econômicas. Dentre as ordens de Busca e Apreensão encontram-se 12 imóveis, 03 veículos de luxo (PORSCHE PANAMERA, MASERATIGRANTURISMO S e MERCEDES BENZ GLA200FF), 12 motos aquáticas e 11 embarcações. A operação ocorreu de forma simultânea em 4 estados brasileiros e empregou 118 agentes, entre Delegados ,Investigadores e Agentes das Polícias Civis dos Estados do Espírito Santo, São Paulo, Ceará e Alagoas, além de Promotores de Justiça e Agentes dos GAECOs do Espírito Santo e São Paulo.  

Cumpre destacar o esforço e empenhados delegados que conduziram a investigação, JOÃO PAULO PINTO, RICARDO TOLEDO e MILENA GIRELI, coordenados pelo Superintendente Delegado JOSÉ LOPES – profissionais cuja postura é digna de elogio por, mesmo com parcos recursos, conseguirem deflagrar vultosa operação policial com repercussão na mídia nacional. Também não podemos deixar de lembrar o apoio operacional fornecido por delegados do DEIC que deram reforço local, a saber, os colegas JOÃO FRANCISCO FILHO, BRENNO ANDRADE, GIANNO TRINDADE e DOUGLAS VIEIRA, assim como também aqueles que solidariamente se deslocaram para o Estado de São Paulo, por via terrestre,  para colaborar e tornar possível o êxito da operação. Por esse motivo, registramos o elogio aos delegados TARCISIO OTONI, RAPHAEL CALIMAN, ARTHUR BOGONI, NILTON ABDALA e LEANDRO SPERANDIO.

Em contrapartida, não podemos deixar de lamentar as dificuldades enfrentadas pela equipe da DFRV em relação à viabilização dos meios administrativos e logísticos necessários à execução dessa complexa operação, tornando ainda mais dificultosa a realização de diligências em outros Estados, que só se tornaram possíveis por meio do envolvimento de outras instituições. Nesse sentido, reiteramos os agradecimentos dos delegados coordenadores às outras instituições envolvidas (GAECO MPES e MPSP, Capitania dos Portos e parceiros das Polícias Civis de SP,AL e CE), que não mediram esforços em colaborar para a realização da operação.

Na visão das entidades de classe, a ênfase apenas nos resultados do dia a dia – que geram repercussão imediata na mídia – causa uma pressão desnecessária sobre os profissionais que buscam atuar também em investigações mais complexas, as quais, por sua natureza, não geram efeitos imediatos e demandam maior concentração por parte dos profissionais. Porém, ainda que o custo operacional de tais ações seja elevado, o resultado positivo para a sociedade é incomparável. Por derradeiro, cumpre-nos rememorar que uma das premissas de fortalecimento da Polícia Judiciária é a de cumprimento de seu papel institucional por meio de investigações dessa estirpe e que produzam, de forma notável, ressarcimento aos cofres públicos e grandes prejuízos à criminalidade organizada que insiste em se instalar no nosso Estado. Ao final do ano de 2020, presenciar exemplos como o acima narrado nos inspiram como categoria profissional e nos levam à reflexão de que, para se executar grandes tarefas, mais importante do que ter estrutura e grande equipe (o que não deixa de ser necessário) é ter dedicação, tenacidade e apoio de pessoas interessadas em fazer a diferença. As diretorias do SINDEPES e da ADEPOL-ES parabenizam os envolvidos!
 
As diretorias do SINDEPES e da ADEPOL-ES parabenizam os envolvidos!

Nossos Convênios